terça-feira, 1 de junho de 2010

Fazenda Cascata - Patrimônio histórico, cultural e ambiental da região

A Fazenda Cascata fica a seis quilômetros de Teixeira de Freitas, às margens da BA-290, a caminho de Alcobaça e Caravelas. Há mais de dez anos existe uma proposta da “Fundação Quincas Neto”, de revitalização e socialização do patrimônio histórico, cultural e ambiental existente na área da fazenda.
Um dos argumentos do Projeto que é de 1996, é de que “a Fazenda Cascata “guarda” num único ambiente, a mostra de vários ciclos econômicos – cultura do café, cultura do cacau, cultura da mandioca, desmatamento para implantação de pastagens para a pecuária, o início da atividade comercial e os primitivos meios de transporte – desde a segunda metade do século XX”. Mais de dez anos se passaram e o projeto ainda não obteve aprovação. Isso trouxe graves prejuízos para o sítio histórico que a cada ano se deteriora, ficando cada vez mais difícil sua revitalização.
Sem dúvida alguma, a Fazenda Cascata é muito importante para a memória histórica e sócio-cultural da região, visto que, segundo parecer técnico da vistoria feita no local pelo Departamento de Ciências Biológicas Francisco de Castro Bonfim Jr. e pelo Departamento da Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC, trata-se de “importante sítio arqueológico de grupos pré-históricos que habitaram a região em épocas remotas”.
A Fazenda Cascata apresenta edificações já bem castigadas pelo tempo e que precisam urgentemente de uma intervenção e posterior restauração. São edificações tais como:
• Um sobrado que é um raro exemplar das casas sede das fazendas do século XIX;
• Uma casa de farinha, com o maquinário utilizado para o beneficiamento da mandioca;
• Estufa e barcaças da época em que a vocação comercial da região se diversificou por causa da decadência cafeeira;
• Uma venda, toda em madeira de lei, representando o marco comercial da região;
• Capela, onde se realizava manifestações religiosas;
• Tulha, espécie de depósito para armazenar grãos;
• Duas escolas, sendo que uma implantada e estadualizada na década de 30;
• Carcaça de uma embarcação que servia de transporte da produção agrícola da fazenda até Alcobaça, via Rio Itanhém;
• Casa de arreios, que era utilizada para guardar cangalhas, balaios, cangas e carros de bois;
• Casinhas de madeira que funcionavam como local de pouso dos tropeiros.
Todas as informações aqui citadas foram obtidas em conversas com o proprietário da fazenda, Sr. José Sérgio e através da cópia da proposta de revitalização do patrimônio histórico ali existente.
Numa pesquisa de campo verificamos que houve uma quebra do caráter histórico ao construírem ali uma piscina, descaracterizando o sítio histórico colonial da fazenda. Verificamos também que todo o patrimônio encontra-se interditado por risco de desmoronamento.
É visível o descaso com a preservação de área tão importante que, se resgatada e restaurada, servirá de marco histórico com grande acervo arquitetônico, podendo ser usado tanto como ponto turístico quanto como aula viva para estudantes de toda a região, tornando-se um laboratório de pesquisas e estudos. Clamamos aqui ao Poder Público e à população que se mobilizem e salvem a Fazenda Cascata em nome da preservação da história do nosso município.

Pesquisa de campo: João Pereira, Marlene Rocha e Mírian Ferreira
Texto: Marlene Rocha

Fotos: João Pereira e Marlene Rocha

3 comentários:

HAURI AZEVEDO disse...

ESTE CONCEITUADO MEIO DE COMUNICAÇAO DE TX DE FREITAS QUE SEMPRE ACRTEDITOU NA PROPOSTA DA FUNDAÇAO QUINCAS NETO JA PODE FAZER UMA OUTRA MATERIA POIS JA FOI INICIADO AS OBRAS DE RESTAURAÇAO DA FAZENDA CASCATA, COM PATROCINIO DA PETROBRAS, COM A AJUDA DO SENHOR ROSEMBERG PINTO QUE ACREDITOU NA PROPOSTA DOS PROPRIETARIOS ZE SERGIO E ZE RODOLFO FIGUEIREDO.

karem disse...

legal,muito interessante ,essa fazenda faz meu bizo relembrar o passado

Geovani Roner disse...

estou de penis ereto

Postar um comentário